Relatividade

>> quinta-feira, junho 30, 2005

Albert Einstein criou uma experiência académica na qual, partindo de dois postulados, chega à conclusão que dois observadores em locais distintos vêem um acontecimento de forma radicalmente diferente.

Os postulados são os seguintes:
1 – Um observador não pode saber se está ou não em movimento, a menos que tenha referências externas ao seu sistema.
2 – Ao contrário da velocidade dos objectos com massa, a velocidade da luz é constante e independente da velocidade a que o observador se desloque relativamente à fonte.


Quanto à experiência, imaginemos um comboio que se descola a uma velocidade próxima da da luz (300.000Km/s). Lá dentro vai um observador, que de acordo com o postulado 1, a menos que olhe pela janela, não pode saber a que velocidade se desloca. A sua observação dos fenómenos tem que ser igual à que teria se o comboio estivesse parado. No meio da carruagem há uma fonte de luz que irá dar um flash. Quando a luz do flash atingir as portas, em cada extremo da carruagem, há um sistema electrónico que abre essas portas. Para o observador na carruagem a luz atingirá as portas ao mesmo tempo e estas abrem-se em simultâneo.
Há também um observador sentado no talude que vê passar o comboio a partir do exterior. Para ele a luz que sai do flash no meio da carruagem terá que ter velocidade constante, para respeitar o postulado 2, ou seja, a sua velocidade não pode somar-se à do comboio. Assim, enquanto o flash de luz caminha até chegar às portas, a carruagem avança ao seu encontro, logo a porta de trás apanha a luz enquanto a da frente lhe foge, abrindo-se primeiro a de trás e só mais tarde a da frente.
O mesmo acontecimento, visto de dois locais diferentes tem um aspecto totalmente diferente. A nossa observação depende do referencial onde estamos.

Agora perguntam os eventuais leitores que tiveram a pachorra de chegar até aqui: “mas será que a doença deste gajo é do foro psiquiátrico?”

Não, eu ainda não pirei do miolo. Lembrei-me desta experiência do Einstein, que sempre me fascinou, quando li nos blogs SaraMM e De Lisboa Com Amor, no mesmo dia, referências à forma como os homens em Portugal olham para as mulheres. Só que a Sara tinha como referencial Marrocos, onde esteve, e a Sushi Lover está ainda com o referencial a fugir para o Japão.
A Sara escreve que:
Damo-nos conta de que (afinal) somos imensamente sortudos - por haver igualdade entre os sexos, por podermos vestir o que nos apetece, por termos amigos dos dois sexos, por podermos viver com quem queremos, casando ou não casando.

No mesmo dia a Sushi Lover diz que:
Principalmente agora no Verão que, com o calor, só queremos andar de mini-saia e top e antes de abrir o armário... “este não pode ser porque há uma obra no fim da rua”, “...este é muito decotado e depois passo naquela oficina e... naaaa”, saia muito curta, calça muito justa... “querido, diz-me onde é que arrumei a burka?”.
Sim, sim, digam-me que posso ignorá-los à vontade. Por isso até já ponho o meu iPod aos gritos. Mas não posso (faz mal ao ouvido). O desconforto cola-se. É nojento. Corria à paulada todos esses anormais.


Ficamos assim a saber que um pouco de conhecimento da Teoria da Relatividade pode perfeitamente aplicar-se na leitura dos blogs.

O que dirá dos homens portugueses e seu comportamento um observador cujo referencial seja Portugal, em vez do Japão ou de Marrocos?

Desculpem a seca, mas estou de partida para férias e precisava de vos baralhar tanto as ideias que só quando chegar vos apeteça cá voltar, para não darem pela pausa.

Beijinhos, abraços e boas férias a todos.

Vão passando por cá.

ZM

PS: Abomino o modelo portuga chunga que manda piropos labregos a tudo o que mexe, sobretudo quando tem muita pela à vista ou o cabelo amarelo...

3 comments:

Desconhecida 7/01/2005 8:34 da manhã  

Vai de férias sim...estás a precisar...lol...eu também vou.
Beijos

manamagana 7/01/2005 3:54 da tarde  

Boas férias embora obviamente esta frase seja altamente relativa quer as pessoas que fazem este voto estejam ou não de partida, elas também, para férias.

Um grande beijinho,
susana

Azenhas 7/11/2005 12:08 da tarde  

Esse Einstein sabia a história toda... Quantas miudas é que ele não terá sacado com essa teoria, hum?

;-)

Enviar um comentário

Sobre este blog

Somos Sintrenses por adopção, daí o frequente interesse por temas relacionados com Sintra. Actualmente, vivemos na ilha Terceira, nos Açores, mais propriamente na cidade de Angra do Heroísmo, o que transformou este blog, de alguma forma, num canal privilegiado para ir dando a conhecer como é a vida no meio do Atlântico.

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP