O Túmulo dos Dois Irmãos

>> quarta-feira, junho 08, 2005






O Túmulo dos Dois Irmãos é um monumento medieval, que se encontra hoje no lado direito da estrada que sobe do Ramalhão para S. Pedro, logo após a bomba de gasolina.

O nome deste túmulo está ligado a uma lenda que diz que dois irmãos se enamoraram pela mesma mulher, sem saberem um do outro. Uma noite, um deles encontra o outro debaixo da varanda daquela que lhe prometera fidelidade e matou-o. No dia seguinte descobriu que se tratava do seu irmão, que lhe era tão querido. Com a mesma espada com que o matara, suicidou-se sobre o seu cadáver.

No entanto, quando em 7 de Abril de 1830 se abriu o túmulo, sob o olhar de D. Miguel, verificou-se que apenas continha um esqueleto incompleto, pelo que aquela história deve ser mesmo uma lenda, que apenas deu nome ao monumento.

Segundo o Dr. Fernando Castelo Branco, autor de ”O Denominado Túmulo dos dois irmãos”, compilado em 1978, o sepultado seria um templário de categoria elevada.

O túmulo estava inicialmente mais junto do Ramalhão, em posição obliqua. Em 1930, por obras na estrada, passou para uma segunda posição, ainda do lado esquerdo da estrada, mas mais longe do Ramalhão. Nessa altura já não tinha a cruz que hoje se vê.

O Guia de Portugal, de 1880, já fala da sua destruição, dizendo que uns rapazes, em um dos seus caprichosos e inconsideráveis devaneios, imaginaram que a cruz devia ser alvo das suas pedradas.

No livro “Sintra do Pretérito”, de Felix Alves Pereira, de 1957, diz-se que o Túmulo estava do lado esquerdo da estrada, mas continuava a não ter o cruzeiro.

Em 2 de Fevereiro de 1976 foi para o local que hoje ocupa. É esta a data da lápide.

A 10 de Junho de 1978 o túmulo foi destruído por um carro que se despistou, quando se dirigia ao hospital para transportar um homem que tinha partido um dedo. Acabaram por ir os dois ocupantes para ao hospital.

Nessa altura as estelas foram roubadas e o túmulo reconstruído sem elas. José Alfredo da Costa Azevedo (a minha fonte habitual nestas matérias), escreveu vários artigos dando conta desse roubo e ameaçando com investigações policiais. Parece que a coisa deu efeito e os ladrões devolveram as estelas ao seu lugar na noite de 12 para 13 de Outubro de 1978.

Deve ser o monumento medieval mais movimentado do mundo. Esperemos que agora fique sossegado por muitos e longos séculos.

Quando por lá passarem, dêem uma mirada de soslaio e lembrem-se das aventuras por que já teve que passar.

4 comments:

NS 6/08/2005 10:51 da manhã  

Desconhecia totalmente esta história..
Gostei de ler...

Quica 6/08/2005 6:38 da tarde  

São mesmo engraçadas as coincidências da vida. Eu já conhecia a lenda e, ainda no Domingo passado passei pelo túmulo e estive a contá-la à Noca. Bjs.

nunomgl 6/09/2005 10:20 da tarde  

Muito curiosa essa lenda!

Azenhas 6/13/2005 8:46 da tarde  

A olhada de soslaio já tinha dado, mas só tu me contaste a lenda ò vizinho!

Enviar um comentário

Sobre este blog

Somos Sintrenses por adopção, daí o frequente interesse por temas relacionados com Sintra. Actualmente, vivemos na ilha Terceira, nos Açores, mais propriamente na cidade de Angra do Heroísmo, o que transformou este blog, de alguma forma, num canal privilegiado para ir dando a conhecer como é a vida no meio do Atlântico.

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP