Uma curta visita aos Capuchos

>> sábado, dezembro 29, 2012

No Domingo passado aproveitámos a manhã para ir (à borla) ao Convento dos Capuchos. O tempo não estava muito agradável, o que fez com que não houvesse ninguém no Convento.
É um local que não me canso de visitar.
As fotos que aqui deixo são as possíveis sem tripé. Como ia com a Madalena e o caganito Simão, não o levei de propósito, porque sabia que não ia ter disponibilidade para fotografar calmamente. Um dia desses volto lá com mais calma.
Entretanto aqui ficam algumas impressões do frio Convento dos Capuchos numa cinzenta manhã de Dezembro.
Sintra é o paraíso...

DSC_7908

DSC_7910

DSC_7911
Gostei tanto da luz deste terreiro que fiz várias versões do mesmo quadro.

DSC_7912

DSC_7913

DSC_7915
Por mais vezes que visite este local não deixo de me sentir esmagado com esta aproximação ao convento propriamente dito.

DSC_7916

DSC_7917
Um umbigo de pedra e musgo.

DSC_7918
Há lá coisa mais bela...

DSC_7919
Esta apetece pôr de pernas para o ar.

ZM

Read more...

Praia da Adraga

>> domingo, dezembro 23, 2012

DSC_7901

DSC_7902

Feliz Natal a todos.

Read more...

Sintra Natal II

>> segunda-feira, dezembro 17, 2012

No âmbito de um projecto que anda a germinar na minha cabeça, fomos fazer uma visita em família à Anta de Adrenunes. Não vou estender-me sobre a beleza do local nem sobre a estranha energia que se sente por lá. Digo apenas que é um dos mais belos e mágicos locais da serra. Aqui ficam algumas imagens.

DSC_7880
Nos bosques, a caminho.

DSC_7882
Uma cadeira para as figuras que habitam os bosques.

DSC_7883
A Anta propriamente dita.

DSC_7885
Carvalhal ali ao lado.

DSC_7887
Madalena e Simão no alto da estrutura. Em fundo, os topos da Noiva e da Ursa, recortados pela linha de terra.

DSC_7890
A vista para Oeste e para o Cabo da Roca.

DSC_7891
Madalena e Lourenço a destreparem.

DSC_7893
Vista para Sul, para a Peninha.

DSC_7894
Simão a abandonar o local.

DSC_7895
Umbigo na pedra.

DSC_7898
Com o Sol a aproximar-se do horizonte.

Repito, Sintra é o paraíso.

Read more...

Sintra Natal

>> domingo, dezembro 16, 2012

Por motivos diversos, tenho andado arredado destas lides bloguistas.
Com algum atraso, aqui ficam imagens de uma visita à Biblioteca de Sintra, com uma espécie de "Vila Natal" sintrense.

DSC_7854
Esta não é da visita à biblioteca, é de uma ida aos patins de gelo, no Fórum Sintra, com o grupo do hóquei em patins de Nafarros.

DSC_7858
A fábrica de brinquedos do Pai Natal, na Biblioteca.

DSC_7859
Os brinquedos a acordarem.

DSC_7863
Os brinquedos a brincarem ao circo.

DSC_7864
Os brinquedos.

DSC_7869
O Simão a tomar chá na casa dos Duendes.

DSC_7872
A fantástica vista da Biblioteca para a Serra e para a Vila.

Sintra é o paraíso.

Read more...

Oscar Niemeyer

>> quinta-feira, dezembro 06, 2012

DSC_3750

Este é o único projecto em solo Português, de Oscar Niemeyer, o arquitecto brasileiro que morreu ontem, aos 104 anos.
Não conheci outro projecto ao vivo, logo não tenho mais do que esta fotografia.
Aqui fica a homenagem.

Read more...

Azenhas by night

>> domingo, dezembro 02, 2012

DSC_7846

Hoje, ao final do dia, saí para ir buscar pão, mas passei pelas Azenhas para registar esta imagem. O frio torna a vista cristalina.

Read more...

Passeio à Pena

Desde que regressámos a Sintra que andamos para ir ao parque da Pena, para espreitar o Chalet da Condessa. Hoje, com o fantástico Sol com que fomos brindados, decidimos meter pés ao caminho. Aqui ficam algumas fotos desse curto passeio.

DSC_7834
Uma das fantásticas árvores do parque da Pena (Tuia?), bem perto do Chalet da Condessa D'Edla.

DSC_7835
Um curioso corte de árvore.

DSC_7836
A vista do omnipresente Palácio da Pena.

DSC_7837
No alto do Chá. O frio sente-se nesta foto.

DSC_7838
Simão e os principes, no Alto do Chá.

DSC_7841
Lourenço mandando charme no Chalet da Condessa.

DSC_7842
O Chalet visto do exterior.

DSC_7845
Acabámos o passeio na Adraga a comer pão com chouriço da feira de Almoçageme.

Foi um passeio memorável, como há algum tempo não fazíamos. Mesmo com crise, mesmo com frio, é possível dar umas voltas divertidas aqui na terra.

Read more...

Tivémos tempo para ser mais.

>> segunda-feira, novembro 26, 2012



Obrigado, Miguel, por mais esta pérola.

Não há segredos vãos
Quando te prendo as mãos
E tapo a boca

Não há palavras tuas
Que acendam as ruas
Onde a luz é pouca

Fomos feitos de algo mais
Que não tem forma nem razão

Tivemos tempo p'ra ser mais

Tivemos tempo p'ra ser mais
Roubar a carne dos chacais
És só de mim
Mas fomos tarde demais

Tivemos tempo p'ra ser mais
Roubar a carne dos chacais
És só de mim
Mas fomos tarde demais

Tivemos tempo p'ra ser mais
Roubar a carne dos chacais
És só de mim
Mas fomos tarde demais

Quando te prendo as mãos
Quando te prendo as mãos
Quando te prendo as mãos

Read more...

O decrescimento para um mundo sustentável

>> sexta-feira, novembro 23, 2012



Um excerto deste filme, via Companheiro Vasco.
Felizmente vão-se juntando mais vozes à ideia de se fazer um caminho alternativo na direcção de um futuro mais promissor para todos, incluíndo para a mãe natureza.

Read more...

Soltas de Sintra e não só

>> quinta-feira, novembro 15, 2012

DSC_7719
Esta é uma imagem que fiz na casa da minha cunhada, no Monte da Caparica, que pensei editar em P/B, mas que decidi deixar a cores.

DSC_7802
Os três da vida airada, no parque infantil de Cascais, junto à Casa das Histórias da Paula Rego, que acabaramos de visitar.

DSC_7804
Gosto da dinâmica desta imagem. O Lourenço é mesmo um atleta.

DSC_7811
O Simão a andar de alce.

DSC_7817
A Madalena dentro do tubo.

DSC_7818
Que coisa mai'linda!

DSC_7820
Os galos que andavam por ali.

DSC_7823
Um dos momentos da escola doméstica, neste caso à hora do pequeno almoço, assistindo a um vídeo sobre os Romanos na Península Ibérica, com a presença das sementeiras no primeiro plano. É uma foto pouco interessante do ponto de vista artístico ou técnico, mas que resume muito do que tem sido o clima cá de casa nos últimos tempos.

Read more...

Prazer em estado puro

>> sexta-feira, novembro 09, 2012

Read more...

Grow-up undamaged

>> quinta-feira, novembro 08, 2012

"We wanted our kids to grow-up undamaged"


Só nos está a faltar o suporte financeiro para manter este sonho. O que retiro deste filme é o de sempre: tenho que ser positivo, caso contrário arrisco-me a falhar.
Que o Cosmos esteja connosco. Queria tanto que desse certo!

Esta é privada, para um certo José que conhecemos: sinto-me tão verde!

Read more...

A Isabelinha do BA

Anteontem, por mero acaso, assisti (no PC, já se sabe, porque não tenho emissão de TV) a um debate curioso na SIC Noticias, com a participação de Isabel Jonet (do Banco Alimentar), Manuela Ferreira Leite e Rui Vilar (ex-administrador da Gulbenkian).
Eu não conhecia o pensamento de Isabel Jonet, mas julgava (ingénuo) que ela se posicionaria à esquerda da ex-líder do PSD e de Rui Vilar. Estava a fazer outras coisas enquanto escutava o debate, mas lá mais para diante arrebitei as orelhas. Será que estou a ouvir bem?
Não vos vou maçar com pormenores, mas aqui fica o link para o debate (através do 5dias.net), que entretanto se tornou viral.

Se não quiserem perder muito tempo, passem directamente para o minuto 39. É a partir daí que são ditas coisas surpreendentes. Tão surpreendentes que parecem igualmente surpreender os pares do debate.

Afinal não fui o único a ouvir os disparates desta senhora. Muita gente os terá ouvido e a coisa deu brado. Deixo-vos aqui duas reacções que me parecem justificadas, ambas do blog 5dias.net:
A comida não é uma arma;
Tia, ensine-me a ser pobre!

Sem necessariamente subscrever a totalidade dos textos que partilho, não posso deixar de aproveitar a oportunidade para manifestar a minha perplexidade pela falta de tacto com que os agentes políticos (ao contrário do que diz, Isabel Jonet é um deles) actuam nos dias que correm. Já é triste pensar que esta senhora, que nos habituámos a conhecer como coordenadora de uma acção filantrópica, tem estas ideias a tropeçarem-lhe nos miolos, agora, devia ao menos evitar vomitá-las na SIC Noticias, assim a sangue frio.
Estou desconfiado que foi um dos maiores tiros no pé dos últimos tempos (que têm sido pródigos em material desta natureza). Se o pessoal não se esquecer, estou desconfiado que na próxima campanha o volume de recolhas irá caír a pique.

Read more...

Utopia ?

>> segunda-feira, novembro 05, 2012



Eu sei que faltam aqui umas variáveis, nomeadamente saber quem e como sustenta as funções sociais do estado numa economia descentralizada, mas num cenário de catástrofe económica ambiental e social, talvez valha a pena seguir este plano. Há muito que percebi que a fábula do crescimento eterno não tem um final feliz. Tem que haver outros caminhos.

Read more...

Ainda em modo Dead Can Dance

>> sábado, outubro 27, 2012



Esta não me sai da cabeça desde o concerto.
The Return of the She-King

Aqui temos um dos mais fantásticos momentos do concerto na Casa da Música. Tal como previra, tive oportunidade de ouvir esta fabulosa versão do Song to the Siren:


On the floating, shapeless oceans
I did all my best to smile
til your singing eyes and fingers
drew me loving into your eyes.

And you sang "Sail to me, sail to me;
Let me enfold you."

Here I am, here I am waiting to hold you.
Did I dream you dreamed about me?
Were you here when I was full sail?

Now my foolish boat is leaning, broken love lost on your rocks.
For you sang, "Touch me not, touch me not, come back tomorrow."
Oh my heart, oh my heart shies from the sorrow.
I'm as puzzled as a newborn child.
I'm as riddled as the tide.
Should I stand amid the breakers?
Or shall I lie with death my bride?

Hear me sing: "Swim to me, swim to me, let me enfold you."
"Here I am. Here I am, waiting to hold you."

Read more...

Retrato da Madalena de trancinhas

>> terça-feira, outubro 23, 2012

DSC_7731

O foco não ficou perfeito, porque estava com a 50mm, muito aberta, e a coisa falhou um bocado, mas gosto tanto da expressão e da luz, que aqui fica na mesma.

Read more...

Modo Dead Can Dance (II)



Sometimes
I feel like I want to live
Far from the metropolis
Just walk through that door
Sometimes
I feel like I want to fly
Reach out to the painted sky
A prisoner to the wind
A bird on the wing

Sometimes
I feel the ocean in my blood
See rain from the sky above
Her salt brined tears
And now
Those tears leave taste on my tongue
Like the warm rush you get from
Black opium
Black opium

Sometimes
I feel like I want to leave
Behind all these memories
And walk through that door
Outside
The black night calls my name
But all roads look the same
They lead nowhere
They lead nowhere

Read more...

Em modo Dead Can Dance



We sat and watched as the moon rose for the very first time...

Read more...

Dead Can Dance no Porto

>> segunda-feira, outubro 22, 2012

Um pequeno excerto do que tenciono ir ver ao Porto na próxima quarta-feira.
Reparem (sobretudo para quem conheça) na versão do Song to the Siren, a partir do minuto 12.

Fabuloso!
Uma banda imperdível.
ZM

Read more...

A queda de um mito

>> quinta-feira, outubro 11, 2012


O RSI explicado às crianças. Via Companheiro Vasco.
Para ver se acalmo alguns dos "conversas da treta" que adoram trazer este assunto à baila e que querem fazer-nos crer que a ajuda social aos muito pobres contribui para o desastre financeiro do país. Tenham paciência...

Read more...

Sobre este blog

Somos Sintrenses por adopção, daí o frequente interesse por temas relacionados com Sintra. Actualmente, vivemos na ilha Terceira, nos Açores, mais propriamente na cidade de Angra do Heroísmo, o que transformou este blog, de alguma forma, num canal privilegiado para ir dando a conhecer como é a vida no meio do Atlântico.

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP