Añisclo

>> segunda-feira, maio 15, 2006

Os dois espanhois com quem partilhámos a estadia no refúgio de Goriz, para ascender ao Monte Perdido não eram propriamente o cúmulo da simpatia, mas sempre conversámos alguma coisa. Falaram-nos numa garganta que se encontra ali "perto", que é a garganta do Añisclo (o nome de um dos vizinhos do Monte Perdido). Quando estive no cume, tirei-lhe uma foto.

No dia seguinte, para descansarmos um pouco as pernas, fomos dar uma vista de olhos a esta garganta.
Existe um percurso que percorre todo o interior da garganta, até um local chamado Fuen Blanca, onde também há um refúgio, mas demora-se cerca de 6 horas a chegar lá! De resto é um caminho possível para chegar ao Collado de Añisclo e daí ao Monte Perdido. Nós fizemos apenas um pequeno percurso circular, que dá para ter uma ideia do aspecto desta garganta. O pouco que vimos deixou-me água na boca para um dia desses ir lá percorrer todo o caminho.

Passam-se inúmeras pontes sobre fundos desfiladeiros e torrentes de água do degelo. O som da água está sempre presente, transmitindo simultaneamente força e serenidade.

Deve ser uma excursão fantástica ligar esta garganta a qualquer um dos outros percursos que levam ao Monte Perdido, coração do Parque Nacional.



Saímos deste pequeno percurso cheios de fome, mas não nos apetecia afastar muito daquele paraíso em busca de alimento, pelo que entrámos numa pequena aldeia vizinha, chamada Nerín. Não encontrámos lá alimento para o corpo, mas encontrámos para o espírito.
Deambulámos um pouco pela aldeia e demos com um atelier de construção de colheres de pau, cujo artesão nos recebeu com grande simpatia e simplicidade. As colheres e os outros objectos são feitos de boj (em inglês boxwood, mas não sei ainda que madeira é esta).

Ambos comprámos um exemplar para trazer de recordação. Depois de termos dito que éramos portugueses, quando já vínhamos a sair, o homem perguntou-nos se conhecíamos Dulce Pontes. Dissemos que sim. Então, com um brilho especial nos olhos pequeninos, estendeu-nos uma mão grossa e calejada, onde se liam num pequeno papel rasgado as palavras Dulce PontesPortugalFado, escritas a lápis. Disse-nos, com um sorriso infantil, que tinha estado a ouvir na rádio que soava dentro da oficina, uma entrevista com ela e que estava encantado com a música e com a cantora.
Me gusta mucho el fado…
Não posso dizer que partilhe os gostos musicais do senhor, mas senti um calor confortável por ver aquele homem, perdido numa aldeia inacessível nos Pirinéus, apaixonado por uma voz portuguesa que o éter fez lá chegar.
ZM

8 comments:

FCS 5/16/2006 9:18 da manhã  

Olá,
é só para dizer que essa madeira é de Buxo (provavelmente "Buxus sempervirens"), vê-se muito nos jardins a fazer aquelas sebes bem alinhadas.
abc

cambas 5/16/2006 2:55 da tarde  

eu n queria comentar este post, queria apenas dizer q gosto mt do teu blog o qual sigo mt atentamente e dizer q teria grande prazer q visitasses o meu recem-criado: http://buenosairessocialclub.blogspot.com/

PMBC 5/16/2006 11:01 da tarde  

Fantásticas as fotografias e a passeata. O buxo (julgo que em catalão lê-se butch) é uma madeira branca, praticamente sem veios e excelente para fabricar ferramentas. Nas terras altas, particularmente nos Pirinéus há enormes florestas de buxo que, na época própria têm um perfume inigualável.

Azenhas 5/17/2006 1:12 da tarde  

Percebo agora o teu amor às montanhas.
A nota final do artesão da colher de pau, é a cereja no topo do bolo.
Lindo, ZM, simplesmente lindo.
Obrigado pela partilha.

Mana+,  5/18/2006 6:43 da manhã  

me gusta mucho as tuas passeatas ... Pelas quais, aqui no teu blog, fazemos também (um bocadinho).
Me gusta Dulce Pontes (talvêz pour saudades de casa ...)
Beijos

LUA DE LOBOS 5/18/2006 7:37 da manhã  

A autora Maria de São Pedro, a Papiro Editora e a Fnac têm o prazer de convidar V.Exas. a estarem presentes para o lançamento do livro GATO PEDRA no dia 19 de Maio, pelas 19.00h na Fnac - Cascais Shopping.


SESSÃO DE AUTÓGRAFOS

A Autora, Maria de São Pedro e A ESCUDERO - Galeria de Artes e Letras, têm o grato prazer de Convidar V.Exas. para a Sessão de Autógrafos e Lançamento do livro GATO PEDRA que se realizará com um "Porto de Honra", a partir das 18.30 horas, Quinta-Feira, dia 25 de Maio de 2006, na Avenida Maria Helena Vieira da Silva, nº 37-B, na Alta de Lisboa / Quinta do Lambert ( Metro: Quinta das Conchas ), em Lisboa.

MJ 5/27/2006 9:47 da tarde  

Que lindas fotografias!

Enviar um comentário

Sobre este blog

Somos Sintrenses por adopção, daí o frequente interesse por temas relacionados com Sintra. Actualmente, vivemos na ilha Terceira, nos Açores, mais propriamente na cidade de Angra do Heroísmo, o que transformou este blog, de alguma forma, num canal privilegiado para ir dando a conhecer como é a vida no meio do Atlântico.

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP