Massa térmica

>> quarta-feira, maio 16, 2007

Tenho uma amiga que vai construir uma casa aqui na zona de Sintra. Está a pensar utilizar a tecnologia de construção em aço. Até agora, todas as casas que vi construir com esta técnica de construção têm um defeito do ponto de vista térmico: não têm massa térmica nas paredes. Falámos disso, mas não fui suficientemente convincente para a fazer mudar de ideias (até porque o aspecto financeiro deve pesar na decisão).
Curiosamente, no post anterior, há um comentário que remete para um site muito interessante, cheio de informação sobre construção sustentável, do qual destaco o seguinte parágrafo:

"Thermal Mass:
Thermal mass inside a building moderates temperature swings by storing heat when the sun is shining and releasing heat back into the building when it begins to cool off. Materials commonly used for mass include water, concrete, masonry, and earth. Keep the mass at 3-4” thick, and keep it in the direct sun for best effectiveness. Mass must be carefully balanced with glazing area to perform properly in a given climate."

É pouco provável que ela leia este post, mas pelo sim, pelo não, aqui fica a ideia, sublinhada uma vez mais.

Eventualmente o projecto será de uma dupla de arquitectos, de quem já falei aqui há algum tempo: João Brandão e Margarida Gomes.


foto retirada do site www.jbmg-arquitectos.pt

As técnicas de construção sustentável ou bioclimática são geralmente simples de executar e raramente implicam custos de construção superiores aos da construção tradicional, mas irá demorar mais umas décadas até entrarem na generalidade dos projectos. Sinto sempre uma certa angustia quando vejo erguer edifícios (sobretudo os de habitação) que poderiam ter ficado muito mais confortáveis e económicos com ligeiras alterações de projecto. Acho que esta divulgação se perde por aqui, mas devia ser um dos principais cavalos de batalha das revistas de arquitectura, que agora se publicam às dezenas e até das publicações da ordem. Pelo que me vou apercebendo, os currículos das escolas de arquitectura tocam nestes assuntos muito ao de leve e a maioria dos arquitectos nacionais coloca este item na ultima linha do projecto.
Por quanto mais tempo vamos continuar a construir contra a natureza?


Obrigado ao Helder pelo comentário e pelo link.

ZM

3 comments:

Helder 5/22/2007 11:01 da manhã  

Para o contexto climático de Portugal continental, o uso da inércia térmica é de fundamental importância na concepção de edifícios térmica e energeticamente eficientes.

Links

"European high quality Low Energy Buildings"
http://www.learn.londonmet.ac.uk/packages/euleb/en/home/index.html

http://www.learn.londonmet.ac.uk/packages/cdres/intro/en/guide.html

Portugal:

http://tironenunes.pt/page/index.php

Pagina sobre Arranha-ceus bioclimaticos do arquitecto Ken Yeang

http://www.ellipsis.com/yeang/index.html#top

Abraço

daniel 5/23/2007 8:31 da manhã  

Não sendo especialista na área posso avançar que a construção em aço em Portugal não tem muitos adeptos pelo seu elevado preço, principalmente nesta fase em que os chineses estão a consumir quase todo o aço disponível no mercado mundial.

Uma estrutura de aço tem um peso muito menor do que em betão e pode ser construída em metade do tempo, pois permite que seja toda pré-fabricada e apenas montada no local.

Agora existem alguns problemas:

- as pontes térmicas têm que ser muito bem avaliadas pois o aço é um excelente condutor de calor;
- toda a estrutura de aço tem que ser protegida contra a acção do fogo;
- num clima como o nosso com uma elevada humidade e salinidade a corrosão é um problema sério a ter em conta, assim como as amplitudes térmicas que provocam dilatações e contracções significativas.

Por outro lado os nossos regulamentos quanto ao cálculo sísmico de estruturas são muito rigorosos não permitindo deslocações que, por exemplo os regulamentos americanos permitem, tornando as estruturas em aço demasiado “hiperestáticas” aumentando assim substancialmente o seu preço.

Como nota final uma casa em estrutura metálica permite “brincar” com os espaços, torná-la mais transparente e mais flexível mas precisa de um orçamento muito folgado, para que não se torne num pesadelo.

Um abraço
Daniel

Paula,  6/04/2007 3:30 da tarde  

Pois é Zé
estavas tu convencido que não ia ao teu blog, pois enganaste-te.
Dei agora um vista de olhos muito rápida sobre a parte da construção que a mim me diz respeito. Acho que vou conversar com a minha cara metade e dar mais atenção ao que dizes, porque a construção de uma casa tem de ser muito bem avaliada.
E obrigada por te lembrares de mim e não descurares tal tema, bem pelo contrário.
Estou a ver que vou ter que vos convidar para a inauguração.

Outra curiosidade é que neste fim de semana andei pelos mesmos lados que tu, ou seja pelo Alto Alentejo e muitas das fotografias que vi aqui estão completamente frescas na minha memória, pois vim de lá ontem.

Continua com este blog fantástico.

Paula

Enviar um comentário

Sobre este blog

Somos Sintrenses por adopção, daí o frequente interesse por temas relacionados com Sintra. Actualmente, vivemos na ilha Terceira, nos Açores, mais propriamente na cidade de Angra do Heroísmo, o que transformou este blog, de alguma forma, num canal privilegiado para ir dando a conhecer como é a vida no meio do Atlântico.

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP