Chocalhaste, bruto?

>> segunda-feira, junho 19, 2006

Quando eu era pequeno, contava-se lá em casa a história de um determinado aristocrata que tinha, certo dia, convidados de cerimónia em casa e decidiu abrir um daqueles vinhos excepcionais, envelhecido ao longo de muitos anos na cave da sua mansão.
Já depois de ter dado instruções ao mordomo para o ir buscar, lembrou-se que não tinha dado indicação expressa para que a garrafa não fosse agitada, para que o vinho pudesse ser decantado, como manda a etiqueta. Sabendo que o mordomo não era muito certo, esperou que ele regressasse com a garrafa e perguntou-lhe muito aflito, assim que ele entrou na sala:
- Chocalhaste, bruto?
O mordomo, também com alguma aflição, começa a agitar vigorosamente a garrafa e diz:
- Não, mas chocalho agora!

A que propósito vem esta história dos meus tempos de infância?

Por motivos que não vêm ao caso, o Lourenço alimenta-se a biberão. Como muita gente que conheço, temos os biberões prontos, com a dose necessária de água fervida no seu interior e, quando chega a hora, colocamos lá dentro o pó do leite e chocalhamos vigorosamente, como o bruto do mordomo.
Um destes dias, recebemos a visita de uma química, directora de qualidade de uma multinacional do sector farmacêutico, que nos perguntou, já não sei a que propósito como é que dissolvíamos o leite na água dos biberões.
Após termos descrito o processo utilizado (uma espécie de milk shake infantil), ela disse que não devíamos fazer isso de maneira nenhuma porque isso causava imensas cólicas à criança. A espuma gerada por este processo introduz demasiado ar no estômago do bebé, com todos os efeitos negativos que daí advêm.
Recomendou-nos que agitássemos o biberão em movimentos circulares, dissolvendo cada medida de pó, sem provocar espuma. Foi o que passámos a fazer.

A verdade é que o método parece resultar. Notámos de imediato uma grande redução na frequência dos choros provocados por cólicas. Este é provavelmente o ovo de Colombo dos biberões de recém-nascido.
Foi preciso falarmos com uma mulher que, além de mãe, é também química de formação para chegarmos a esta conclusão.

É por isso que eu digo sempre que as mulheres são mais inteligentes que os homens. Provavelmente são igualmente inteligentes, mas têm uma experiência que torna o conhecimento mais útil.

Um grande obrigado a esta mãe tão conhecedora dos meandros da química e da maternidade.

7 comments:

Alma Minha 6/19/2006 2:52 da tarde  

Pois... agora já compreendo porque tinha a minha "ferinha" tantas cólicas...
Eu mãe de dois filhos desconhecia isto...
"Chocalhava o leite das crianças que nem uma Bruta..."

PMBC 6/19/2006 9:47 da tarde  

Afinal os estudos de química sempre servem para alguma coisa ...

Miguel "Teco" Taborda,  6/20/2006 12:19 da manhã  

Para além de seres "master" da escalada agora és "master" do biberão? Qual Tom Cruise no filme "Cocktail"...
Abraço

minhoca 6/20/2006 1:28 da manhã  

Simples sensato e lógico...
Obrigado pela passagem lá no meu cantinho.
Um grande beijinho para todos e um especial no Lourenço.
*
Raquel

Mana+,  6/20/2006 6:57 da manhã  

Ora esta ! Se eu soubesse que estavas a precisar duma ajudinha na fabricação de biberões ... Eu, que também sou mãe, e profissional, sabia isso muito bem ! Aqui em casa, os biberões são dissolvidos em "circulos", e muitas vezes mesmo com uma colher comprida (género aquela dos "garotos") para isso mesmo : não fazer espuma !
Claro que nem toda a gente sabe estas "ficelles du métier" ... Mas desculpa não te ter ajudado antes ... tinham-se evitado jà algumas colicas ...

Ps : espero que tenhas aproveitado domingo passado para fazer a foto das 4 gérações de Oliveirinhas !!!

NS 6/20/2006 10:18 da manhã  

A questão principal é: Porque é que as embalagens de leite não trazem esta informação tão importante para o bem estar dos bébés?
Será a descoberta tão recente ou desleixo das empresas produtoras?

ana ventura 6/20/2006 5:11 da tarde  

Estamos sempre a aprender :)

Enviar um comentário

Sobre este blog

Somos Sintrenses por adopção, daí o frequente interesse por temas relacionados com Sintra. Actualmente, vivemos na ilha Terceira, nos Açores, mais propriamente na cidade de Angra do Heroísmo, o que transformou este blog, de alguma forma, num canal privilegiado para ir dando a conhecer como é a vida no meio do Atlântico.

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP