O mito urbano das renováveis nas rendas excessivas

>> segunda-feira, abril 08, 2013

Muita gente está convencida, à custa de desinformação, que o preço da electricidade é fortemente incrementado pela opção das energias renováveis. Frequentemente acusa-se o Sócrates desse grande crime de lesa pátria. Reparem no detalhe dos CIEG (Custos de Interesse Económico Geral) na factura da electricidade:



Alguém sério acredita que o que nos está a pesar no bolso na factura da electricidade são as renováveis?
No meu caso, de uma factura de 57€ (incha porco!), a fatia correspondente à produção em regime especial (renováveis) foram 1.6€.
As aldrabices, por muito que sejam repetidas, não se tornam verdades. Apenas enganam os papalvos.
ZM

2 comments:

Nia 1/23/2014 10:04 da manhã  

Caro José,
um pormenor: aqueles 40% das centrais eléctricas e térmicas dizem respeito ao backup necessário para o excesso de eólicas! mto eficiente de facto!

Jose Maria Oliveira 1/23/2014 10:35 da manhã  

Caro Nia,
Quando diz o backup necessário para o excesso de eólicas está a distorcer a verdade. O backup é necessário, seja qual for a origem da energia que coloca na rede eléctrica. Na verdade, grande parte destes custos (dos tais 40%) existiriam de qualquer forma, por definição do sistema electroprodutor e do tipo de contratos que é feito com estas empresas. Mesmo que a nossa rede eléctrica fosse alimentada por energia nuclear, as centrais a gás natural não poderiam ser desmanteladas. Precisará sempre delas, pelo que terá que suportar o custo dessa disponibilidade, mesmo que produzam pouco. Além disso, há sempre o custo da não emissão de CO2 que nunca é tido em conta nestas discussões. Acredito que os contratos com as eólicas possam e devam ser revistos, mas as eólicas não são as culpadas do nosso défice tarifário. Nem dos elevados valores da nossa factura doméstica.

Enviar um comentário

Sobre este blog

Somos Sintrenses por adopção, daí o frequente interesse por temas relacionados com Sintra. Actualmente, vivemos na ilha Terceira, nos Açores, mais propriamente na cidade de Angra do Heroísmo, o que transformou este blog, de alguma forma, num canal privilegiado para ir dando a conhecer como é a vida no meio do Atlântico.

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP