Conta da luz

>> quarta-feira, Agosto 17, 2011

Informações interessantes sobre a conta da luz. Neste caso, trata-se de uma conta especial, porque representa 45 dias de consumo e não um mês, como é habitual. Trata-se da primeira conta desta casa.
Actualmente temos tarifa tri-horária, mas não estamos ainda a fazer grandes alterações de consumo, excepto a utilização da máquina da roupa que só fazemos no período de vazio. Temos a cozinha integralmente eléctrica, sem gás. Só utilizamos gás para a água quente. Ora, isso obriga a que utilizemos a placa e o forno no período de ponta da noite inevitavelmente.
Consumos: 59 kWh na ponta, 106 kWh no cheio e 84 kWh no vazio. Isto dá as seguintes percentagens: Ponta - 23.7%, Cheio - 42.6%, Vazio - 33.7% (este número é irritante, porque representa o peso dos equipamentos em stand by durante a noite).
Custo fixo: 16.20€ (seria 14.70€ se a tarifa fosse plana, ou seja, tenho que conseguir compensar 1.50€ de diferença, nos 45 dias a que se refere a factura).
Custo do consumo: 29.69€, contra 33.76€. Uma diferença de 4.07€, à qual temos que retirar o tal 1.50€. No final dá uma poupança de 2.58€, por causa dos arredondamentos.

Agora vêm os consumos extra:
Taxa DRCIE, que nem sei bem o que é: 0.14€ (desprezável)
Audiovisual: 4.50€, ao qual acrescerá IVA (isto é um ultraje, eu pago TV cabo, porque raio tenho que pagar esta coisa?)

IVA a incidir sobre o somatório dos custos anteriores, incluindo a tal taxa (isto não é outra daquelas situações em que se cobra um imposto sobre um imposto?): 2.02€

Total: 52.54€, contra 55.23€ caso não tivesse tri-horário.

Conclusões:
1 - A tarifa tri-horária compensa, mesmo que não alteremos os nossos hábitos. Tenciono ir explorando as possibilidades de redução de consumos na ponta daqui para a frente, sobre as quais, se for caso disso, darei igualmente notícia.
2 - No caso desta minha factura especial, caso o IVA já tivesse a 23%, como foi anunciado pelo Tretas Coelho, pagaria 62.14€, ou seja um aumento de 9.60€. [Nota, na sequência de um comentário do Rogério: o IVA dos Açores será "apenas" de 20%, em lugar dos 23% do continente, assim o custo desta factura após a referida medida seria 60.63€, ou seja 8.09€ mais cara. Obrigado pela correcção, Rogério]
3 - A tal taxa do audio visual representou neste caso 8.9% da minha factura da luz. Suponho que este custo seja fixo, pelo que em facturas de menor montante representaria algo mais. Não será isto um exagero "colossal"?

Façam as vossas contas.

12 comments:

Miguel Bettencourt 8/17/2011 4:39 da tarde  

Uma pergunta simples: tens por hábito fornecer à EDA - via net ou telefone (linha verde, ou algo do género) - a contagem do contador? Ou passa alguém em representação da empresa de electricidade dos Açores na tua casa a "recolher" esses valores? Isto para que não surjam grandes variações de consumo nas facturas (os ajustes, como já me foi dito).

Zé Maria 8/17/2011 4:42 da tarde  

Tenho os dados para mandar as leituras para o site da EDA, mas nem sempre o faço. Este mês, a senhora da EDA passou lá em casa.
Os consumos que estão na factura são reais, mas são de 45 dias em lugar de um mês, daí o "aumento".

Rogério Paulo Pereira 8/17/2011 5:01 da tarde  

Zé,
fazes bem em enviar as leituras para não teres surpresas. É que de acordo com o "contrato de concessão" a EDA apenas é obrigada a fazer uma leitura anual.
Quanto ao IVA que agora é de 16% (30% mais baixo que os 21% do continente) vai passar para 19% (vai sofrer aumento para além da redução de 30% para 20% em relação ao IVA continental, que passará para 23%).
Mas tens razão, a factura da EDA é um exagero, como é a da PT (para quem tem fixo) e como de futuro será a dos SMAH.
Abraço.

Zé Maria 8/17/2011 5:03 da tarde  

Rogério, tens razão, o IVA de cá será "só" 20%. Nesse caso a conta está exagerada.
E quanto ao IVA aplicado a uma taxa, achas normal?

Rogério Paulo Pereira 8/17/2011 5:17 da tarde  

Zé,
não te sei responder sobre a aplicação do IVA à taxa de audiovisual, mas uma consulta ao Código do IVA deve esclarecer isso. Mas sendo o IVA um dos impostos mais macabros que existe (pois incide sobre facturas), não me espanta que esteja prevista essa situação. Mas, de facto, sendo uma taxa (um pagamento compulsivo) e não uma transacção (dependente da vontade do consumidor)a cobrança do IVA parece-me um abuso.
De qualquer modo penso que podes optar por não pagar essa taxa, mas terás de declarar expressamente essa intenção junto da EDA.

Miguel Bettencourt 8/17/2011 6:02 da tarde  

Rogério, essa da opção por não pagar a taxa audiovisual é uma tentação. Vou explorar a hipótese.

Miguel Bettencourt 8/17/2011 6:43 da tarde  
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel Bettencourt 8/17/2011 6:49 da tarde  

Taxa audio visual:
"Os consumidores cujo consumo anual fique abaixo de 400 kWh estão isentos do pagamento desta contribuição. - "Portal do Consumidor de Energia

Nana 8/17/2011 8:13 da tarde  

"Vazio - 33.7% (este número é irritante, porque representa o peso dos equipamentos em stand by durante a noite)" Queria reagir a esta frase : Não sera possivel instalares daquelas tomadas com interruptor e cortar totalmente esses aparelhos que deixas em "stand-by" à noite ? Nos é o que fazemos para a tv, etc ...

Zé Maria 8/17/2011 9:29 da tarde  

Considerando que o consumo desta factura é de 249 kWh e representa o consumo de mês e meio de Verão, estou desconfiado de que não conseguirei ver-me livre dessa taxa.
400kWh por ano é nada. Um frigorífico sozinho, provavelmente ultrapassa esse consumo anual. Este consumo é o que faria uma lâmpada de 45W (incandescente) se ficasse ligada todo o ano durante 24 horas. Dá para ter uma ideia de quem se poderá safar da taxa com esse critério ridículo.

Zé Maria 8/17/2011 9:35 da tarde  

Ana, claro que isso é possível, embora tenha alguns aspectos pouco práticos:
Nem todos os equipamentos em stand-by estão no mesmo local.
Um dos consumos que estão nesta parcela é o dos routers da internet e do MEO (o sistema de TV por cabo, neste caso por ADSL). Desligar esses equipamentos todos quando não os estamos a utilizar acrescenta tempos de arranque da TV desesperantes. Pode-se fazer, mas tem esse custo prático.
A PT (quem gere o MEO) fazem por vezes intervenções nos seus equipamentos durante a noite. Em geral avisam-me para não os desligar, mas é mais um componente de entropia nessa solução.

Ando a pensar impedir o frigorífico de trabalhar durante o pico e pensarei também numa solução para essa questão dos equipamentos da TV.
Tenho várias ideias de soluções que queria testar, mas esta primeira factura queria que fosse sem intervenções. Aliás, vou deixar que a próxima também o seja.
Vou dando conta por aqui do for descobrindo.

Náh 8/17/2011 10:45 da tarde  

Olá, passei por aqui e achei o blog bem legal... quando tiver um tempinho passa no meu... http://rebellionlie.blogspot.com/
Bjo

Enviar um comentário

Sobre este blog

Somos Sintrenses por adopção, daí o frequente interesse por temas relacionados com Sintra. Actualmente, vivemos na ilha Terceira, nos Açores, mais propriamente na cidade de Angra do Heroísmo, o que transformou este blog, de alguma forma, num canal privilegiado para ir dando a conhecer como é a vida no meio do Atlântico.

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP