O Veado Florido

>> quarta-feira, março 02, 2011

A Madalena, do alto dos seus 8 anos, sentou-se ontem ao PC e escreveu este resumo da história do Veado Florido, que já conhecia. O texto saiu-lhe tal e qual da cabeça.
A única coisa que corrigi foram erros semânticos e sugeri que substituísse a palavra cornos por armações. Fora isso, é tudo da sua cabeça:

"O Veado Florido

Era uma vez um rei que odiava animais.
Um dia ficou doente e chamou um médico. Quando o médico chegou ao palácio disse que a cura para a doença era conviver muito com animais.
O rei quando ouviu aquilo corou de raiva e disse
- Mas eu odeio animais.
O médico disse que ele ia aprender a gostar de animais.
E assim foi, passado uns meses o rei gostava de animais. E gostava tanto de animais que se viciou em animais. E começou a mandar os criados irem buscar animais para ele os coleccionar. Mas ele não queria uns animais quaisquer, ele queria animais muito especiais.
Um dia, um criado encontrou uma coisa muito estranha, ele encontrou um veado com flores nas armações e achou logo que ia ganhar muito dinheiro com isso e levou-o amarrado a uma corda.
Quando chegou ao palácio viu que o veado já não tinha flores, só que entretanto o rei já lhe tinha dito:
- Anda cá para eu ver o que trazes.
O criado mostrou-lhe o veado. O rei quando viu o veado disse:
- Mas isso é só um veado vulgar!
O criado disse:
- Sua alteza este veado tem flores nas armações, agora não tem porque é Outono e elas caíram.
Então, o rei disse que só lhe daria o dinheiro depois de crescerem as flores ao veado.
Passaram-se muitos dias, até que chegou a Primavera e mesmo assim não cresciam flores ao veado. O rei começou a achar muito estranho e o criado também, mas na verdade o veado estava sem flores pela tristeza que sentia de estar preso numa jaula.
Um dia, o rei soltou o veado e disse que aquele veado era normal como os outros e no momento em que o soltou começaram a crescer-lhe flores novas e bonitas. O rei, quando viu aquilo, percebeu que o veado não tinha flores pela tristeza que sentia e teve tanta pena dele que o deixou ir para o bosque em paz e nunca mais prendeu nenhum animal. Percebeu que se fosse para o bosque olhar para eles encontrava muitos com um ar muito mais contente e bonito."
Madalena Oliveira, contado do livro “O Veado Florido"

Nesta matéria, é um orgulho de criança.
ZM

5 comments:

RS 3/02/2011 3:10 da tarde  

:) parabéns, Madalena. Gostei muito.

Nana 3/02/2011 3:35 da tarde  

Tem veia a menina ! Mas também não é de estranhar, não é ?!?
Que continue !
Beijos !

Miguel Bettencourt 3/02/2011 6:16 da tarde  

Parabéns à Madalena pelo trabalho fantástico. Mas também ao pai e à mãe por incentivarem o gosto pela leitura e pela escrita.
Abraços!
- m

Gonçalo Simões 3/02/2011 7:29 da tarde  

Que história fantástica!!!

is 3/06/2011 11:13 da tarde  

Sempre inspirada a vossa petiz. Parabéns Madalena!
(Eu diria que não é só nesta matéria que ela te traz esse orgulho ;) e este Arrumário até tem muitas provas disso.) Obg família O.!
BJis

Enviar um comentário

Sobre este blog

Somos Sintrenses por adopção, daí o frequente interesse por temas relacionados com Sintra. Actualmente, vivemos na ilha Terceira, nos Açores, mais propriamente na cidade de Angra do Heroísmo, o que transformou este blog, de alguma forma, num canal privilegiado para ir dando a conhecer como é a vida no meio do Atlântico.

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP