Ainda Saramago

>> segunda-feira, Junho 28, 2010

"...há quem leve a vida inteira a ler sem nunca ter conseguido ir mais além da leitura, ficam pegados à página, não percebem que as palavras são apenas pedras postas a atravessar a corrente de um rio, se estão ali é para que possamos chegar à outra margem, a outra margem é que importa (...). A não ser que esses tais rios não tenham duas margens, mas muitas, que cada pessoa que lê seja, ela, a sua própria margem, e que seja sua, e apenas sua, a margem a que terá que chegar."
José Saramago in "A Caverna"

Pergunto-me a que margem terão chegado, se a alguma, as pessoas que dizem que não gostam de ler Saramago. Talvez se tenham afogado em preconceitos, afundando-se inutilmente até ao leito.

Read more...

A espera de gado

>> sexta-feira, Junho 25, 2010

Uma espera de gado é em tudo diferente das restantes touradas e afins aqui da Terceira. Neste caso, são largados, um a um, seis touros no meio da rua. Passados uns minutos, estão os seis touros juntos, a correrem a rua para cima e para baixo. De onde estava, via apenas uma pequena parte da zona por onde eles andavam. Os touros estão embolados com umas peças de metal e não sei se alguém levou ou não uma cornada. Que eu visse, não. Eram touros calminhos, comparando com os que vemos nas touradas de praça. Ao fim de uma hora ou coisa que o valha, começam a recolher os touros. Uns vão pelo seu pé para dentro da gaiola, outros são apanhados à corda e levados para o mesmo destino. De resto, não lhes fazem mais mal do que andarem a correr à sua frente. Penso mesmo que os touros que vêm à cidade participar nestes eventos são veteranos. Andam no mato e já sabem que no Verão têm que se vir mostrar à cidade e dar umas cornadas para o DVD do ano.
Deixo aqui apenas algumas das muitas fotos que fiz.

DSC_2548

DSC_2549
Os preparativos

DSC_2552
Rua de S. Pedro sem carros.

DSC_2553
Fechando o "recinto".

DSC_2556
A espera, no Alto das Covas. Falta ainda mais de uma hora para esta gente ver touro, mas já cá estão a marcar lugar.

DSC_2561

DSC_2562

DSC_2575

DSC_2577

DSC_2584
Embolando os touros.

DSC_2588

DSC_2589
Não pode faltar comida.

DSC_2591
Está tudo pronto. Já só falta abrirem-se as gaiolas, uma a uma. Está na altura deste vosso repórter se pirar para casa, para fotografar o resto da janela.

DSC_2592
Menina estás à janela...

DSC_2595
Aí andam eles

DSC_2597
Parece que vai ao ar, mas safou-se.

DSC_2604
Um panning

DSC_2610
Foge!

DSC_2624
Das poucas que tirei da porta de casa.

DSC_2628
Aquele que é aqui chamado "o quinto touro", neste caso, o sétimo: os comes e bebes e o combibio.

DSC_2631
Bela pelagem, não?

DSC_2638
Um dos touros a ser levado de volta à gaiola, para poder ir descansar para o mato.

Para verem a totalidade das fotos das Sanjoaninas -->

Read more...

Sanjoaninas 2010

As Sanjoaninas são os festejos do S. João, na cidade de Angra do Heroísmo. É uma espécie de "santos populares" de Lisboa, mas com mais adesão. Durante as actividades dos festejos a cidade pára.
Como temos o Simão com semanas, apenas fomos apanhando algumas partes do extenso programa. As Sanjoaninas são muito mais do que o que estas fotos ilustram.
Este primeiro conjunto de fotos é do dia das marchas. A grande novidade deste ano era a marcha de S. Miguel, ilha com a qual os Terceirences alimentam uma certa rivalidade, e que acabou sendo uma boa demonstração de tolerância de ambas as partes.

DSC_2521
O primeiro sinal de que irá passar-se algo na rua da Sé são as inúmeras cadeiras que vão marcando lugar ao longo do dia.

DSC_2522
Aparecem por todo o lado, normalmente amarradas.

DSC_2523

DSC_2525
Já no momento em que as marchas decorrem, o que impressiona é a quantidade de gente em cada janela, cada varanda, cada terraço, tudo muito bem engalanado com as respectivas mantas coloridas.

DSC_2526

DSC_2527
Até nas residenciais há gente a assistir em cada janela.

DSC_2529
Aspecto geral das marchas.

DSC_2531

DSC_2536
A tal marcha de S. Miguel, altamente aplaudida.

DSC_2539

DSC_2544

Não percam o próximo post, com mais imagens da espera de gado, na minha rua.

Read more...

Os 6 cornudos

>> quinta-feira, Junho 24, 2010


Aqui fica a prova de que tive 6 cornudos à porta de casa. Brevemente mais imagens das impressionantes Sanjoaninas 2010.
ZM

Read more...

Novas do Simão

Eu sei que vocês estavam ansiosamente à espera de fotos actualizadas do Simão. Pois aqui ficam duas.
Agora tenho que ir, porque tenho 6 pares de cornos à solta ali à porta.
Eu depois explico.

DSC_2513

DSC_2519
Simão, a caminho de ter 4 semanas de vida.

Read more...

Mais duas do Cesariny

>> terça-feira, Junho 22, 2010



O navio de espelhos
não navega, cavalga
Seu mar é a floresta
que lhe serve de nível
Ao crepúsculo espelha
sol e lua nos flancos
Por isso o tempo gosta
de deitar-se com ele
Os armadores não amam
a sua rota clara
(Vista do movimento
dir-se-ia que pára)
Quando chega à cidade
nenhum cais o abriga
O seu porão traz nada
nada leva à partida
Vozes e ar pesado
é tudo o que transporta
E no mastro espelhado
uma espécie de porta
Seus dez mil capitães
têm o mesmo rosto
A mesma cinta escura
o mesmo grau e posto
Quando um se revolta
há dez mil insurrectos
(Como os olhos da mosca
reflectem os objectos)
E quando um deles ála
o corpo sobre os mastros
e escruta o mar profundo
Toda a nave cavalga
(como no espaço os astros)

Do princípio do mundo
até ao fim do mundo

(Mário Cesariny)




"queria de ti um país de bondade e de bruma
queria de ti o mar de uma rosa de espuma!"
(Mário Cesariny)

Os poemas de Cesariny põe-me a alma a vibrar e o timbre da sua voz faz-me o mesmo ao núcleo dos ossos.

Via Fluir de Espumas.

Read more...

Levantado do Chão

>> sexta-feira, Junho 18, 2010

Morreu hoje, há pouco, o escritor de quem li mais livros em toda a minha vida. Este dia havia de chegar. Chegou hoje. Morreu José Saramago.
Tal como o Rui Vasco, já percebi que muita gente parece alegrar-se com a partida deste grande escritor português. Somo à tristeza da perda a tristeza de cada vez me identificar menos com tanta estupidez à solta.
Conheci o autor pelo Memorial do Convento, algures no início da década de 80. Adorei o livro e é daqueles que tenciono voltar a ler. Tive uma gata chamada Blimunda, que teve um triste fim, e tenho ainda um Baltazar, já velhote. O outro chama-se Zorbas (Sepúlveda e o seu gato que ensinava gaivotas a voar).
Depois, lembro-me de ler tudo o que apanhei pelo caminho, nomeadamente:

  • Levantado do Chão, que adorei e que seguramente contribuiu para me empurrar para a esquerda, politicamente
  • O Ano Da Morte De Ricardo Reis
  • Jangada de Pedra
  • Todos os Nomes
  • O Evangelho Segundo Jesus Cristo
  • Ensaio Sobre a Cegueira
  • A Viagem do Elefante
  • Caim
Faltam-me ainda alguns, que espero ler entretanto. Houve um único que tentei ler e não me agarrou: História do Cerco de Lisboa.
Também é verdade que me surpreendia a arrogância do discurso e a falta de flexibilidade do pensamento no autor daqueles livros, mas isso interessa-me pouco. Interessam-me os livros e com ele morto não haverá mais. Disso tenho pena.

Encontro em dois autores actuais e bem vivos, contágio do estilo Saramago, já falei de ambos neste espaço: José Luís Peixoto e Valter Hugo Mãe.
Morreu o autor, vivam os livros.

Read more...

Água engarrafada?

The Story of Bottled Water (Português) from Guilherme Machado on Vimeo.



Embora me pareça algo exagerado, provavelmente porque não se baseia no cenário Português, vale a pena reflectir sobre o assunto.

Via Speakers Corner.

Read more...

Mais duas do Lourenço

>> quarta-feira, Junho 16, 2010

DSC_2492
Na Prainha, em Angra.

DSC_2498
No fim-de-semana grelhámos peixe "normal". Uma dourada de cultura e uma posta de salmão igualmente de cultura. Já vêm como fiquei impressionado com o estado dos Oceanos. O nosso creativo Lourenço, encontrou uma forma de se defender do Sol inclemente, enquanto não temos um suporte para o guarda-sol.

Read more...

Duas PB

DSC_2497

DSC_2496

Duas fotos Preto e Branco, feitas na cidade de Angra do Heroísmo.

Read more...

O incrível aconteceu


No passado fim-de-semana decidi participar numa prova de corrida e orientação, organizada pelos Montanheiros. Como gosto de correr e o cenário era apetecível, decidi aproveitar para treinar fazendo a minha estreia neste tipo de prova. Embora tenha feito um mau percurso, porque houve duas balizas que não vi na carta, tendo que lá voltar mais tarde, acabei por andar rápido e ganhei mesmo a corrida.
Está bem que havia só 5 concorrentes masculinos seniores, mas o facto é que fui o mais rápido. A moça que aparece na tabela com um tempo melhor do que o meu não conta porque elas só tinham que ir a metade das balizas.
Deu-me um grande gozo fazer esta prova. E agora soube-me bem descobrir que tinha sido rápido.

Read more...

Voar sobre as águas do Atlântico

Há horas de sorte. No meio desta confusão que têm sido os meus dias por cá, eis que sou convidado para integrar a tripulação do Talismã, numa tarde de bom tempo, com vento que baste e mar quase chão.
DSC_2499

DSC_2500

DSC_2502
Trata-se de um Dufour 40, versão Performance e aquilo não navega, aquilo voa sobre as águas.

DSC_2503

DSC_2505
O vento andava pelos 8 a 10 nós, mas houve vários momentos em que andámos mais do que o vento.

DSC_2504
A sensação de andar a 10 nós apenas empurrado (ou puxado) pelo vento é extraordinária.

DSC_2506

DSC_2507

Chegado a casa, tenho ainda no corpo o balanço do mar e na pele a frescura do vento. Trago igualmente nos ouvidos o sabor da conversa amena, de olhos no horizonte, e nas mãos a leveza da gigantesca e elegante roda do leme. Navegar numa embarcação destas, com aquele mar e vento certo é um grande, grande prazer. Inesquecível.

Read more...

Umas fotos que ficaram perdidas

>> terça-feira, Junho 15, 2010

Com o barulho das luzes, tinha-me esquecido de publicar estas.
DSC_2453

DSC_2455

DSC_2459

DSC_2460
Estas foram todas tiradas no dia 1 de Junho, e ilustram uma visita de um tal Pinóquio a esta ilha. Não sei em que contexto esta figura andou por cá, mas como podem ver, andou.

DSC_2461
A babada avó, com o neto mais novo ao colo, poucos dias depois de ele vir ao mundo. Obrigado pela ajuda, avó.

DSC_2462
O retrato do neto.

DSC_2464
Para não dizerem que a Madalena não tem direito a andar de patins.

DSC_2467
Alta performance, alta elegância :-)

Read more...

Sobre este blog

Somos Sintrenses por adopção, daí o frequente interesse por temas relacionados com Sintra. Actualmente, vivemos na ilha Terceira, nos Açores, mais propriamente na cidade de Angra do Heroísmo, o que transformou este blog, de alguma forma, num canal privilegiado para ir dando a conhecer como é a vida no meio do Atlântico.

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP